Tags

, , , ,

artur350b_20161101_135539

A reeleição do tucano Artur Neto à Prefeitura de Manaus dá indicações de que o manauara prefere administradores com experiência para gerir os destinos da cidade que, desde a década de 1970, cresce de maneira desordenada, ou melhor, incha, até pela forma como o solo é ocupado no município, por meio de invasões.

Já ao candidato derrotado só nos resta agradecer sua participação na campanha por tê-la tornado, na reta final, muito divertida

Mesmo áreas planejadas findam por ser invadidas e quem fica no prejuízo são os adquirentes, que perdem a propriedade, como aconteceu, por exemplo, com quem tinha terreno no loteamento Rio Piorini, no bairro Novo Israel, zona Norte.

Se em uma área loteada os problemas de infraestrutura são agravados pelas invasões que acontecem na cidade, nos locais tomados pelas invasões onde havia floresta a situação é bem pior, pois aí nem traçado de ruas existe e os moradores passam a exigir da prefeitura que ofereça tanto a infraestrutura quanto os equipamentos urbanos necessários.

Na gestão de Artur Neto esse quadro de invasões até que melhorou com as medidas adotadas para remover invasores antes que o problema se tornasse mais grave com a ocupação definitiva da terra.

Ao prefeito que se reelegeu no último domingo de outubro fica, entre os vários desafios a serem enfrentados, este em particular, de impor diretivas e fazer obedecer àquelas já existente com a finalidade melhorar, no sentido urbanístico, a ocupação do solo em Manaus, principalmente nos bairros mais novos, como aqueles localizados nas zonas Norte e Leste.

Outra onça brava a ser encarada pelo prefeito tucano é a questão da qualidade do transporte coletivo, uma reivindicação praticamente unânime do manauara que utiliza o sistema público de transporte coletivo. Neste particular, além do investimento bilionário a ser efetivado pelo município sob a gestão do vice-prefeito Marcos Rotta, para implantar o BRT de forma a servir todas as zonas administrativas de Manaus, há ainda o problema do trânsito caótico, nos horários de pico.

Melhorar a qualidade do trânsito manauense é necessidade e deve ser prioridade já, sob pena de Manaus, em pouco tempo, ver paralisado o fluxo de veículos em suas vias quando, em alguma de suas principais avenidas, ocorra um acidente mais grave parando trânsito não só no local e via onde este aconteceu, assim como em outras cujo fluxo é por ela coletado.

O tempo que o manauara perde no trânsito, hoje, deve ser motivo de estudos com o objetivo de conhecer os principais obstáculos que o emperram, embora uma boa parcela desses obstáculos seja criada por condutores que simplesmente não respeitam as leis do trânsito: são os apressados e espertos que nunca usam a seta, transitam costurando em velocidade acima da permitida, além de infringirem outras normas sem sofrer punição.

Esse tipo de motorista só se educa quando a penalidade o faz levar a mão ao bolso para pagar multas. Campanhas educativas não surtem efeito quando o problema é de personalidade e o sujeito “se acha” por aprontar essas barbaridades pelas ruas de Manaus.

Ao prefeito que se reelegeu cabe trazer mais qualidade de vida aos munícipes e cumprir as promessas de campanha, que não foram poucas. Já ao candidato derrotado só nos resta agradecer sua participação na campanha por tê-la tornado, na reta final, muito divertida, pelo menos nas redes sociais. Afinal “tem dinheiro, dá pra fazer”, certo Artur Neto?

Publicação no Jornal do Commercio e Portal do Holanda em 1º/11/2016

Anúncios