Tags

, , , , ,

Manaus viveu um dia atípico no último domingo, 19, com a passagem da tocha dos Jogos Olímpicos pela cidade, momento que motivou não só atletas, futuros e ex-atletas a saírem às ruas para receber o fogo simbólico dos jogos que são herança cultural do povo grego para a humanidade.

A chama olímpica que se deslocou até a zona Leste, onde o show foi comandado pelo “príncipe do brega” Nunes Filho, mostrou que Manaus pode ter outra face naquela área, onde, em dias normais, a ausência de respeito pela legislação que disciplina a ocupação dos espaços públicos é ignorada.

Zona administrativa das mais populosas de Manaus, a zona Leste é também dona de comércio varejista movimentado, assim como contempla em seus espaços aqueles que prestam serviços à comunidade, mas o trânsito na região pode ser perigoso pela falta de conscientização quanto aos espaços reservados a pedestres e ocupados pela atividade comercial de quem se estabeleceu por ali.

A presença, no domingo, de agentes públicos para dar apoio à passagem da chama olímpica, conseguiu mudar a paisagem de vias como a Autaz Mirim, devidamente disciplinada por agentes de trânsito, e transformar o visual daquela avenida.

É de se observar que o trabalho feito no centro histórico de Manaus pela atual administração municipal, restaurando passeios públicos e calçadas e devolvendo-os aos pedestres para que circulem com segurança, pode ser efetivado em regiões como a zona Leste, trazendo mais qualidade de vida para quem mora na área e, quem sabe, até mais retorno para os negócios ali instalados.

A festa da tocha Olímpica, que atravessou a cidade indo até a ponte Rio Negro e depois se dirigindo à zona Oeste, onde o show foi na Ponta Negra, também fala da capacidade do amazonense e do manauara de mostrar amor por sua terra e por seus valores, ao frequentar um espaço cujas melhorias começaram na administração de Amazonino Mendes e tiveram continuidade com o atual prefeito Arthur Neto.

Cuidar de uma metrópole do tamanho de Manaus, porém, não é tarefa para amadores, dado o tamanho dos problemas enfrentados pela cidade, os quais, como não podem ser resolvidos de uma só tacada, principalmente nos tempos de crise pelos quais o país passa, devem ser trabalhados aqueles realmente prioritários e com retorno para a população.

Manaus, porém, não parece intimidar aqueles que se julgam capazes de administrá-la e resolver a miríade de problemas com os quais ela se defronta. Tanto é assim que já se apresentam como postulantes à cadeira de prefeito cerca de uma dezena de candidatos, cujos partidos vêm desde a esquerda do PCdoB à reeleição do tucano Arthur Neto.

Ao contar com tamanha disposição dos candidatos para administrar a cidade, resta a seus moradores escolher, em outubro, aquele que estiver melhor preparado para enfrentar os desafios que Manaus impõe e, quem sabe, torná-la uma campeã olímpica em qualidade de vida.

Publicação no Jornal do Commercio e Portal do Holanda em 21 e 24/06/2016

Anúncios