Tags

, , , ,

O uso da tecnologia para melhorar a qualidade de vida dos habitantes das cidades brasileiras está começando, mas são poucas aquelas que já detêm nível razoável e onde problemas do dia-a-dia contem com a intervenção dessa ferramenta para resolvê-los ou reduzir o impacto negativo desses gargalos na vida da cidade.

0-pjerff
Trabalho elaborado pela consultoria Urbam System, com a análise de 70 indicadores aplicados a 700 municípios brasileiros resultou no ranking das 50 cidades mais inteligentes do Brasil, mas nenhuma cidade da região Norte conseguiu ser classificada entre essas.

Pela indicadores , já dá para ver porque Manaus não conseguiu fazer parte da elite das cidades inteligentes do país

A nota máxima que pode ser conseguida para entrar no ranking é de 63 pontos, mas a cidade mais inteligente do Brasil, o Rio de Janeiro, só conseguiu 29,99 pontos, isto é, menos de 50% do máximo possível.
Entre os indicadores analisados estão itens ligados à economia, educação, empreendedorismo, energia, governança, meio ambiente, mobilidade, planejamento urbano, saúde, segurança e tecnologia.
Pela amostra dos indicadores listados acima, já dá para ver porque Manaus não conseguiu fazer parte da elite das cidades inteligentes do país, com desempenho sofrível em energia, mobilidade urbana, educação e outros mais, como o serviço de internet, item principal para que um centro urbano possa se conectar ao mundo e usar essa tecnologia em diversas aplicações com o objetivo de atrair investimentos, melhorar a qualidade de vida da população e oferecer serviços públicos melhores.
A cidade do Rio de Janeiro, com cerca de 6,5 milhões de habitantes, dispõe de 1.000 câmeras espalhadas por suas ruas. Com esse equipamento, a cidade é monitorada e seus operadores têm a possibilidade de alertar a população para riscos de desabamento em épocas de chuvas, organizar o trânsito e até indicar onde é necessária a troca de uma prosaica lâmpada nas ruas da Cidade Maravilhosa.
Manaus tem menos de um terço da população do Rio de Janeiro e, apesar da existência de um centro integrado que utiliza tecnologia da informação de forma intensiva, ainda não conseguiu sair do estágio inicial na aplicação desse meio técnico e transformá-lo em serviço à sociedade, como bem prova a fumaça que, desde quinta-feira, tomou conta da capital.
De outro lado, a frota de veículos que trabalha na segurança pública, mesmo tendo meios tecnológicos e de comunicação para oferecer um combate à violência de maior envergadura, lá na ponta do enfrentamento à bandidagem os operadores simplesmente desligam as câmeras que poderiam oferecer suporte quanto à legalidade dos atos tanto aos policiais, quanto às pessoas que são abordadas ou presas nas operações.
Os especialistas no tema cidade inteligente já constataram que áreas assim classificadas atraem tanto investimentos quanto capital humano, dadas as condições de oferta de infraestrutura integrada com tecnologia, comunicação e sustentabilidade, ao dar atenção ao meio ambiente.
Embora em um percurso de 11 quilômetros entre a Cidade Nova, na zona Norte, até o bairro Japiim, na zona Sul, seja possível passar por cinco áreas de conservação, a cidade tem pouco verde em suas ruas, o que transparece de forma dramática como   temperaturas altas neste período do ano.
Se o próximo administrador de Manaus mantiver as iniciativas da gestão atual, é possível que no longo prazo Manaus se torne uma cidade inteligente, mesmo assim, vai levar um bom tempo.

 

Publicação no Jornal do Commercio e Portal do Holanda em 06/10/2015
Anúncios